3 dias de experimentos variados

Dia 1 – agradar o paladar do meu pai, DE VERDADE.

Ele não é o crítico mais maligno de todos os tempos. Fato.

Porém, extrair dele sua opinião sincera sobre algo que seu filho faz é algo que acho extremamente difícil.

Não tentei ficar na zona de conforto e fiz algo que ele não comia há anos: abobrinha recheada com carne e arroz.

Simples, como as coisas que meu pai gosta de comer, porém, ainda assim, missão complicada.

Resultado: gostou muito do sabor de tudo. Elogiou o molho de tomate feito em 30 minutos e a carne. ENTRETANTO… não curtiu a textura nem da abobrinha, que ao contrário da tradição mineira estava mais crocante, nem do arroz, que estava realmente 90% cozido.

De verdade, sinto que venci… hahahah

Clique nas fotos e veja o resultado por si.

 

Concordei com ele nas duas críticas. Faltou imergir mais a abobrinha no molho (fiz pouco) e um pouco mais de tempo de cozimento do recheio antes de mandar pra panela com a abobrinha.

Dia 2 – Poker Night

A grana tá curta, a vida com poucas possibilidades… Por que não tentar a sorte num jogo de estratégia?

Veja bem…

4 homens, R$ 20,00 por cabeça (já falei, a grana tá curta), winner takes all AND não paga a bebida (entre elas Schneider, Patricia, Stella Artois, Dado Bier e, finalmente, UMA das Paulaner do Joaquim).

Resultado do ‎1º Campeonato Casa da Voi de Poker Winner Takes All

1º Malagutti – R$80,00, conta de celular paga
2º Joaquim – menos R$20,00, cerveja na geladeira
3º  – menos R$20,00, dormiu no sofá e pegou folga no dia seguinte
4º Bruno – menos R$20,00, virou crupiê (LOSER)

Obrigado Rafa por deixar o Joaquim levar estranhos para beber em casa!

Dia 3 – em busca de um sonho cervejeiro

14 h 30 do dia 7/7/2011 recebo uma ligação:

Zé, é a Pri. Hoje é o último dia da Brasil Brau. O Christian vai, talvez eu vá. Vai lá também! É no Expo Transamerica. Se inscreve no site e vamos!

Claro! Como não?!

Confesso que estava com preguiça. Tava me preparando pra dar aula, que me traz dinheiro. Imagina sair de casa para gastar. Nem sei o nome de uma preguiça desse tamanho.

Porém, tinha me comprometido com o Gringo (o Christian) a começar fazer cerveja com ele depois de uma longa conversa sobre a paixão que dividimos pela bebida, as possibilidades de fazer dar certo, mundo gourmet, futuro etc.

Levantei a bunda dessa cadeira aqui e fui.

2 h 30 depois, cheguei. Inaceitável um trânsito desses.

Consegui entrar legalmente sem pagar depois de pensar um pouco em como conseguir tal façanha e salvar R$ 30,00 (tá osso, pessoal). O Gringo ia chegar mais tarde. Fui me aventurando.

O site da feira (que, por acaso, é bienal) informava, além do valor da entrada, que cada dose de cerveja (10, 50 ou 100 ml, dependendo da característica e preço de mercado da mesma) custaria o valor de R$ 3,00. Pensei em investir o dinheiro salvo na entrada nessas tais doses minúsculas.

Logo após pegar meu crachá e entrar, ganhei um copo de vidro da feira. Olhei para a esquerda e vi uma máquina de chopp no estande da Cargill. Encostei lá e estava pensando em como pagar quando o tirador de chopp me ofereceu um, do nada. Peguei, esperei ele cobrar e ele saiu de perto. Foi atender outro alguém. Comi um quitute, bati um papo furado com um alemão e saí pra outro lugar pensando se havia sido desonesto. “Mas se era cobrado, ELE que tinha que me cobrar”, pensei.

Acabou o primeiro copo. Fui atrás de um lixo (o copo era de plástico). Parei num estande qualquer e perguntei se tinha um cesto pra jogar o copo. O rapaz sorriu, pegou o copo vazio da minha mão e repôs um cheio. Virou pra atender outra pessoa.

Parei pra observar enquanto degustava o segundo chopp.

Ninguém estava pagando porcaria nenhuma!!!

Até o final do corredor, no estande da Baden Baden/Eisenbahn/Devassa, tinha tomado quase 1,5 l de chopp… hahahah

Chegando lá, tomei um copo de Eisenbahn Lust, cerveja feita com método champenoise e que custa R$ 80,00 a garrafa. Ao lado, tomei uma das melhores da feira, a stout da Klein.

Uma Colorado aqui, outra acolá. Papo com o pessoal dos estandes, muito amendoim, azeitonas, sandubinhas etc…

Poucas fotos porque… bem… meu cachorro comeu as outras…

As que restaram estão aqui. Pare o cursor em cima pra ver o título. Clique para aumentar.

     

 

Fica a dica do som cervejeiro/leprechaun:

Cheers!!!

Zé Rubens

P.S.: Homenagem ao dia internacional do Rock (13/7)

Esse post foi publicado em Cerveja, Formação, Pessoal, Trabalhos e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s