O puto e o virgem

Mil desculpas pelo título do post, mas são palavras que refletem os meus sentimentos no momento. Explico.

O puto

Consegui uma bolsa de estudos no Senac. Dentre todas as possibilidades, consegui a menor porcentagem. Claro, eu sei: “Pô, Zé! Mas já é um belo adianto”. Mas esperava um desconto maior. Mesmo com a bolsa, o curso ainda continua bem caro e eu vou ter que me virar nos 30 (ou nos 20) para conseguir pagar a faculdade e atrasar ainda mais a minha entrada no mercado de trabalho gastronômico. Não queria ter que pensar na possibilidade do FIES, mas talvez seja uma opção (única?) para o próximo semestre…

Aceito ajuda.

O virgem

Sexta, 26, começou o módulo de confeitaria básica. Minha experiência em fazer doces é quase zero. Bolo? Nem de caneca no microondas…

Descobrir que existem não sei quantos mil tipos e receitas base de massas, cremes, coberturas e afins me deu uma bela paralisada. É MUITA COISA!

Dá pra comparar com montar miniaturas. Perdeu uma peça, tudo desmonta. Errou o tempo da cola, perdeu, playboy. Receitas, pesos e medidas exatos e, para bom resultado de principiantes, inalteráveis e sem “jeitinho”.

Só tenho mais sete dias de aulas para pegar essa base, sendo que os dois mais importantes serão os sábados, o último e o próximo, pois “temos mais tempo”. Oi? Eu não tenho tempo aos sábados. Eu trabalho.

Enfim… boa sorte pra mim e para os que compartilham dessa dor.

ontem: tortas, creme brulée e petit fours

ontem: tortas, creme brulée e petit fours

Cozinha Fria / Garde manger

Pra finalizar por hoje, não tem como não falar do módulo que se encerrou com o mini evento de quinta, 25. Infelizmente, foi muito rápido (como será quase tudo daqui pra frente) e com um professor muito bom e sedento por aprender e ensinar. Obrigado, chef Danilo Miyaoka.

Mais uma vez vi o quão importante é dominar princípios químicos e físicos dentro da cozinha. Para ser criativo, inventivo, ousado e fazer a diferença, não pode haver medo de experimentar, ser ousado, crítico e inteligente.

Técnica e visão. Levo isso junto com a clara noção de que tenho que praticar, ler e estudar muito ainda.

Convivi com algumas sensações extremamente ruins nesses dias que me fizeram pensar bastante. Aprender a conviver com isso será necessário no mundo concorrido da gastronomia.

Ah, claro! Ia me esquecendo. Tirei mais um 10… RÁ!!! (não é pra me exibir. É só pra me sentir um pouco melhor em relação ao parágrafo acima)

Deixo aqui algumas imagens do garde manger e espero trazer lindas e deliciosas fotos das aulas de confeitaria. (clique para aumentar)

  

  

  

Abraço,

Zé Rubens

P.S.: Graças ao Rafael Frison, tive a possibilidade de ter o contato com o meu livro dos sonhos do momento, Modernist Cuisine. Sinceramente? Pagar US$ 700,00 não é nem um pouco caro para o conteúdo que ele tem. Só pelas 3000 fotos já vale.

Modernist Cuisine, primeira edição

Modernist Cuisine, primeira edição

Esse post foi publicado em Formação, Gastronomia, Pessoal e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para O puto e o virgem

  1. Marina disse:

    o livro tá em promoção na amazon por 460! mas so vale se tiver endereço nos EUA pra nao pagar o frete abusivo deles ;/

    • chef no forno disse:

      O de 700 era o único disponível para entrega imediata. O de 460 é a segunda edição, que é igualzinha, mas não tem previsão para ser lançada. De qualquer forma, claro que é uma puuuta diferença. O frete eu não lembro do cálculo. Só te digo uma coisa, é fantástico!

    • chef no forno disse:

      Então… acabei de ver lá… Eles entregam no Brasil tb por 15 dólares. Tudo dá, hoje, R$760,00. Tentador, muito tentador, mas a minha bolsa no Senac não é boa o suficiente pra eu poder comprar isso. Confesso que fui até a última página de envio, mas deletei… triste… bem triste…

  2. bgussonato disse:

    Poxa Zé…. começa a vender uns quitutes pra complementar a renda, ou faz que nem eu.. vende amendoin no trem =D hahhahaha.

    Então, sobre o tal do açucar: NÃO É O DEMERAR. =x
    Qundo entrei em contato com a moça que posta as receitas ela disse que por lá existe tanto o demerar, quando o amarelo, quanto o mascavo, quando o refinado.
    Eu achei uma foto dele, e aparenta ser meio farinhoso sabe?! =x
    Vou ou no mercadão ou em alguma casa de artigos portugueses pra ver se encontro….
    Se souber de algum lugar, me aviseee…

    p.s precisamos marcar um dia de Antepastos, queijos e vinhooo hein..Combine com o Sr. Reche. =D

    bjokas

  3. Pingback: Sal e açúcar | chef no forno

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s